Os Caminhos da Resiliência Psicológica

A maior parte da humanidade foi treinada para acreditar nos seus próprios limites.

Falamos aqui da energia do ACREDITAR.

Dentro de nós há uma crença de limite de até onde o ser humano pode ir.

É preciso construir o seu próprio limite e romper a barreira daquilo que é possível.

Você tem a habilidade de ir muito além, o poder de treinar a sua Inteligência Inata.

Você carrega consigo bloqueios e filtros que nem você mesmo sabe que tem.

E, assim, se pergunta:

“Se eu não sei o que tenho, como posso me livrar disto?”

Através da conversa com o corpo inteligente dentro de você, do poder das afirmações, da limpeza de pensamentos e emoções negativas limitantes, reflexos da baixa autoestima e autossabotagem que estão no seu passado e não no presente.

Sim, a maior parte das pessoas vive no passado.

O conceito de resiliência é originalmente utilizado na ciência dos materiais, para a qual, um material de alta resiliência é o que está em grau de se adaptar a solicitações pesadas porém mantendo sua forma original.

Trago uma história sufi que ilustra o que é a resiliência:

“Era uma vez um ferreiro que, após uma juventude cheia de excessos, resolveu entregar sua alma a Deus.

Durante muitos anos, trabalhou com afinco, praticou a caridade, mas, apesar de toda sua dedicação, nada parecia dar certo em sua vida.

Muito pelo contrário: seus problemas e dívidas acumulavam-se cada vez mais.

Uma bela tarde, um amigo que o visitava, e que se compadeceu de sua situação difícil, comentou:

– É realmente estranho que, justamente depois que você resolveu se tornar um homem temente a Deus, sua vida começou a piorar. Eu não desejo enfraquecer sua fé, mas apesar de toda a sua crença no mundo espiritual, nada tem melhorado.

O ferreiro não respondeu imediatamente. Ele já havia pensado nisso muitas vezes, sem entender o que acontecia em sua vida.

Entretanto, como não queria deixar o amigo sem resposta, começou a falar e terminou encontrando a explicação que procurava:

– Eu recebo nesta oficina o aço ainda não trabalhado e preciso transformá-lo em espadas. Você sabe como isto é feito? Primeiro, eu aqueço a chapa de aço num calor infernal, até que fique vermelha. Em seguida, sem qualquer piedade, pego o martelo mais pesado e aplico golpes até que a peça adquira a forma desejada. Logo, ela é mergulhada num balde de água fria e a oficina inteira se enche com o barulho do vapor, enquanto a peça estala e grita por causa da súbita mudança de temperatura. Tenho que repetir esse processo até conseguir a espada perfeita, uma vez apenas não é o suficiente.

Ele fez uma longa pausa e continuou:

– Às vezes, o aço que chega até minhas mãos não consegue aguentar esse tratamento. O calor, as marteladas e a água fria terminam por enchê-lo de rachaduras. E eu sei que jamais se transformará numa boa lâmina de espada. Então, eu simplesmente o coloco no monte de ferro-velho que você viu na entrada de minha ferraria.

Mais uma pausa e concluiu:

– Sei que Deus está me colocando no fogo das aflições. Tenho aceitado as marteladas que a vida me dá e, às vezes, sinto-me tão frio e insensível como a água que faz sofrer o aço. Mas a única coisa que peço é: “Meu Deus, não desista, até que eu consiga tomar a forma que o Senhor espera de mim. Tente da maneira que achar melhor, pelo tempo que quiser, mas jamais me coloque no monte de ferro-velho das almas”.

Quando falamos de resiliência psicológica não estamos falando de simples pensamentos positivos, mas de acompanhar o pensamento positivo à AÇÃO, com perseverança, mesmo nas situações mais complicadas.

Pode-se definir como resiliente alguém que aprende com as dificuldades sem a pretensão de resolver imediatamente os problemas e que tem uma resistência alta às frustrações.

O resiliente resiste aos traumas sem entrar em surto, mesmo necessitando obviamente em muitos momentos de ajuda, seja através do Amor e da Compaixão, que o indivíduo deve desenvolver por si mesmo em primeiro lugar, seja utilizando um ou mais suportes energéticos para restabelecer seu equilíbrio emocional e físico. 

Como exemplo, cito as terapias energéticas, como a medicina homeopática, as reposições oligominerais e os florais, e as pisicoterapias de apoio, as chamadas terapias holísticas, como a cromoterapia e massagens relaxantes.

É fundamental o contato direto com a natureza, os diferentes tipos de meditação, o tempo para estar em silêncio e consigo mesmo, o respeito aos horários de sono, as ingestão de água pura na quantidade que se recomenda, de dois litros ao dia.

 

Os contatos humanos qualificados, onde haja trocas de amor e solidariedade, contribuem e muito para a reaquisição do equilíbrio e da harmonia interior, na homeostase energética física e emocional refletindo-se no estado mental.

Se a resiliência natural se move, inicia-se um processo realmente milagroso, porque ativa um aspecto da realidade no qual temos muita liberdade: o PENSAMENTO.

No entanto, torna-se indispensável fazer uma seleção daqueles pensamentos que chamaremos de inúteis ou negativos porque não servem ou porque pioram um problema ou o deixam imutável.

A resiliência não é uma característica genética, ela está presente em todos os seres humanos através da única variável que pode ser controlada, o próprio pensamento.

A pessoa resiliente tem e/ou desenvolve uma visão de si, de sua própria vida com uma gama muito variada de cores, enquanto o não resiliente ficará limitado às cores como o preto e o cinza.

O psicoterapeuta italiano Enrico Maria Secci diz que a “A resiliência está associada à perseverança, à criatividade, à empatia e ao pensamento positivo e se baseia no pressuposto de que tudo sempre serve. Tudo serve, tudo contém uma mensagem preciosa, tudo representa uma possibilidade evolutiva, mesmo que na emergência do sofrimento seja difícil individuá-la. Os indivíduos resilientes se colocam com relação à realidade de modo ativo: a imitam, a constroem, a adaptam a si, entre os múltiplos significados dos acontecimentos, selecionam sempre aquele mais positivo”.

Há muitos séculos, os gregos, e particularmente seus filósofos, já traziam preciosas contribuições para o equilíbrio, a harmonia do viver.

Em seus ensinamentos ainda podemos buscar orientação para as soluções de nossas vidas.

Sócrates desenvolveu a Maiêutica, onde a essência é:

“Conhece-te a ti mesmo”.

Hoje, podemos dizer que conhecendo a si mesmo, o indivíduo chega ao seu Eu Superior, sua verdadeira essência, onde a força moral e de caráter, o grande encontro está à espera de todos nós.

Aí se inicia a grande transformação pessoal.

***

Regina de Toledo é Psicóloga Clínica pela Università degli Studi di Padova, Analista Reichiana, escritora e palestrante, e compartilha sua vivência espiritual e física pelos caminhos da Escola do Saber do Oriente, encontros com seres de outras dimensões e reencontros de vidas passadas. Ela é autora do livro “Uma Viagem Entre o Céu e a Terra”, um relato de resiliência, do desafio de se estar sozinho em situações inesperadas e adversas e da coragem que elas exigem.

Um comentário em “Os Caminhos da Resiliência Psicológica

  1. Querida Regina,
    Parabéns pela propriedade com que apresenta um conceito tão importante! Popularizar essa qualidade de conhecimento é certamente disponibilizar um canivete suíço, capaz de auxiliar o indivíduo de diversas formas! Adorei. Fiquei com vontade de ler seu livro. Será o próximo!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close